quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Um caso de amor

Gente que lê é complicada. Às vezes, nos apaixonamos por personagens, por lugares que não existem, por lugares aos quais dificilmente iremos... e, às vezes, pelos autores mais improváveis. Já estive apaixonada pelo Fávio Rangel... cabelos brancos, em caixinhos maravilhosos... e aqueles textos fantásticos na Folha de São Paulo em que escreviam... Drummond, Sabino, Sábato Magaldi. Outros tempos, deixa pra lá! Mas o Flávio, como era lindo... e que textos. Falava de teatro, de gente, de política, de tudo... e eu, apaixonada. Comprei um livrinho de crônicas escolhidas que fica por aqui como lembrança de um amor não correspondido. Também fui apaixonada por Carlos Heitor Cony. Imaginava aquele homem na juventude, com aqueles textos absurdamente sedutores... não, nada de sexo, drogas e rock and roll. Só a sedução da palavra... um tom, um ritmo. Ouvir o Cony... sei lá, o tom de voz dele, combinava tanto com o texto. Vocês devem estar pensando...o Cony, aquele velhinho simpático de bigode, amigo do JK? Fantasiava um encontro... conversa longa, com a gatinha  Mila no colo, tomando café... Pois é, gente que lê é estranha. Agora estou na fase do enamoramento com Ruy Castro. Ah! Aquele vida cafajeste e inteligente que ele, às vezes, descreve. Moço bonito, doidão.. agora é um senhor, fascinante! As biografias... que todos conhecem. E eu me apaixono pelo Ruy Castro que ama o cinema, que ama viajar e ler. Que felicidade os dois livros que ganhei da filha!













E as crônicas no jornal... gosto sempre, mesmo das não tão boas. Inveja da Heloisa Seixas! Passeando com o Ruy Castro pelos lugares mais encantadores... compartilhando as histórias. Já tive a oportunidade de tietar... buscar autógrafo... tirar fotografia com ele e acabei de acompanhar um debate a respeito do cinema de Nelson Rodrigues. Sentei bem no meio da fileira, aproveitando cada intervenção. Também porque lá estava outro dos meus amores... o chato do Rubens Ewald Filho, meu crítico de cinema! Ele é chato, pois ama o cinema acima de tudo... meu melhor momento com ele foi em uma entrevista, quando descreveu como via os filmes em casa, para estudar... uma insanidade! Tudo ao mesmo tempo! Gente insana é fascinante. Ah! O Ruy! Está envelhencendo, repete histórias, precisa da Heloisa para lembrar de algumas. E eu apaixonada, cada vez mais. A melhor descrição a respeito do Marlon Brando... dirigindo as ondas do Pacífico, estourando todos os prazos da produção, enlouquecendo o mundo enquanto pensava em seu filme, A face oculta
Como não se apaixonar por alguém que usa essa foto, com essa legenda...

(Katharine Herpburn cai num canal em Quando o coração floresce. Um turista paciente é capaz de descobrir o lugar exato desse mergulho no filme)

Coisas que amo muito estão aqui... cinema, Veneza, fotografia, turismo cultural... o o adjetivo paciente, completamente estranho, pois se há alguém que não é paciente é um turista cultural, procurando o exato lugar de uma cena de filme, de uma descrição de livro ou de uma livraria famosa. Quem nos acompanha é que deve ser paciente. 

Pois é, estou apaixonada... "Dear Mr. Gable"

... e ainda nem falei do Alvares de Azevedo, que eu namoro lá no salão nobre da Faculdade do Largo São Francisco!
 


12 comentários:

  1. Que texto delicioso...bom ter alguém que escreve por nós. O bom da literatura, filmes, além da paixão pelos personagens, atores ou autores, é o sentir parte por dias e dias das histórias. Bjs. Paula

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aeee... Paula! É assim mesmo... "só a pura vida."

      Excluir
  2. Respostas
    1. Com tanta coisa linda ao meu redor... só posso me permitir ser linda! (Fase pouco modesta)

      Excluir
  3. Que texto lindo, visual! Daria uma bela mini série, heim Elaine? Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como assim? Será mesmo que daria? bjs, Linda Luciana!

      Excluir
  4. Delicioso texto. Dá pra sentir a sua emoção em cada palavra.

    ResponderExcluir
  5. Estou me apaixonando pelo que escreve,Elaine.Que delícia de texto!! Lendo suas paixões,pus-me a pensar nas minhas. São tantas minhas paixões...em minha adolescência,quando descobri o Alvares de Azevedo fiquei completamente apaixonada.Adorava as aulas de literatura e torcia para que o professor (Rossi)entrasse em sala declamando:"Meu Sonho", "Se eu morresse amanhã".Comprei Obras Completas da Editora Francisco Alves e a reli inúmeras vezes.Nada mais importava,só o Alvares de Azevedo e seus poemas,seus personagens,suas dores e angústia..
    Bateu uma saudade dele agorinha mesmo.E onde foi parar o meu livro?

    ResponderExcluir
  6. Ah! Esse moço, Alvares de Azevedo! Você tem as obras comletas... que inveja! E ainda da Francisco Alvez! Estou até sentindo o perfume. Deve estar em algum cantinho, descansando. Bjs,

    ResponderExcluir
  7. E nessa fase de paixão por Ruy Castro, fase em que te faço companhia sei o quanto é verdadeiro esse sentimento que te move, claro que o encantamento é também por outros, muitos outros autores, porque vc busca o significativo, o belo e segue amando a vida!Bj

    ResponderExcluir